Por que os corredores geralmente são ótimos funcionários.

Extraído do texto:

https://thebrandbuilder.wordpress.com/2009/02/21/why-runners-usually-make-great-employees/

Meu bom amigo e super personal trainer Holly DiGiovine enviou um e-mail no fim de semana que me tocou. Aqui está um pouco do que ela compartilhou:

“Quando você tem um objetivo que é tão grande quanto a maratona, isso vai te manter honesto. Não é como um objetivo menor que você pode anunciar e depois adiar ou fingir. Depois de se inscrever, comprometer meses de treinamento, e dar o primeiro passo no dia da corrida, é melhor você ter feito sua lição de casa.

A beleza disso é que ela vai contra 99% das tendências naturais de nossa cultura que favorece a gratificação sem esforço ou devoção. Mas esse tipo de conquista é satisfatório? Não há glória no treinamento, mas não há glória sem treinamento.  De maneira alguma isso é mais verdade do que na corrida. ”

Uma coisa que eu encontrei ao longo dos anos é que muitas das pessoas com as quais eu treino (e que competem contra mim) são, na maioria das vezes, dedicadas aos seus trabalhos (se não mais) como em corrida, ciclismo ou triatlo.

Diferente da participação em, digamos, golfe, futebol ou basquete – sem ofensas aos esportes de clubes e ligas – o tipo de determinação, disciplina e foco emocional que vem com treinamento dia a dia para eventos de resistência extremamente desafiadores é muito maior.

Se você está treinando para uma maratona, uma ultra ou um Ironman, uma coisa que você descobre rapidamente é que não há espaço para besteira. Você faz o trabalho ou está ferrado. A política não vai te levar para a linha de chegada. Não importa quem você conheça ou quão bem você pode trabalhar o sistema. Quando você está lá fora, toda fraqueza sobe para a superfície e te olha nos olhos. Falta de preparação, falta de motivação, falta de dedicação, tudo vai voltar a te incomodar. Não há onde se esconder. Eles todos vão te encontrar e pular em suas costas para te deixar como um zumbi (o tal do urso que pula nas suas costas). A escolha é sua, ou você deixa que eles parem você, ou você os aceita e continua.

Você aprende muito sobre si mesmo, treinando para esse tipo de evento.

Você aprende muito sobre como quebrar limites e superar seu próprio ego, treinando para eventos como esses.

Quando você está cansado, dolorido e com fome, mas se você ainda tem quatro quilômetros para completar, adivinhe? Não tem jeito são quatro quilômetros! A maneira como você vai fazer eles dependem inteiramente de você. Ninguém se importa se você anda nesses últimos quilômetros ou corre, ou rasteja. Ninguém fez você definir os 42.195 metros como um objetivo, foi você!

Uma vez que você tenha quebrado sua falta de vontade e aprendido a continuar, você é transformado. Você se torna outra pessoa!

Todos trabalhamos com dois tipos de pessoas: Partidários com o mínimo de esforço e profissionais dedicados.

Os últimos não são todos corredores, mas eu ainda não encontrei um que não tenha levado sua intensidade e dedicação que tem no treino ao trabalho.

Não que haja algo de errado em beber uma cerveja e assistir esportes na TV durante todo o final de semana, mas quem você é fora do seu trabalho tem paralelos com quem você é quando está no trabalho.

Vamos pensar sobre isso !

Abraços